Annie Louisa Walker Coghill

  Anna Louisa Walker Coghill [419] naceu em 23 de Junho de 1836 em Kiddermore, Staffordshire, Inglaterra. Ela tinha apenas 18 anos de idade quando compôs as palavras deste hino, que foi publicado pela primeira vez, no seu livro Poemas em 1868. Em 1857, a família de Anna mudou-se para o Canadá. Eles se estabeleceram primeiramente em Pointe-Lévy e depois mudaram-se em 1858 para Sarnia, onde o pai de Anna trabalhou na ferrovia. Por volta desta época, Anna e suas duas irmãs, Isabella e Frances, dirigiram uma escola para moças. Anna retornou à Inglaterra em 1863 e trabalhou como governanta e revisora de livros. Em 1883, casou-se com Harry Coghill e mudou-se para Coghurst Hall, perto de Hastings, Inglaterra.

Fonte: http://www.musicaeadoracao.com.br/hinos/historias_hinos/ha_319.htm

Anúncios
Published in: on 31 de maio de 2010 at 9:13 pm  Deixe um comentário  

William Cowper

  William Cowper, [281] (26 de novembro de 1731, em Berkhamstead, Herford, Inglaterra; 25 de abril de 1800, em East Dereham, Norfolk, Inglaterra), poeta inglês. 

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/William_Cowper

Published in: on 31 de maio de 2010 at 9:12 pm  Deixe um comentário  

História do hino 294 – Necessitado

  Este hino surgiu em meio as tarefas diárias de uma dona de casa. A escritora, srª Annie Sherwood Hawks, escreveu a respeito daquela manhã quando foi inspirada a colocar estas palavras no papel: “Eu estava tão cheia do sentimento de proximidade do Mestre que, imaginando como alguém poderia viver sem Ele, quer na alegria, quer na tristeza, estas palavras “de Ti, Jesus Senhor, tenho precisão” surgiram em minha mente… Sentando-se perto da janela aberta, apanhei meu lápis e as palavras foram logo confiadas ao papel, quase da mesma forma como são cantadas agora… Alguns anos depois, quando as sombras caíram sobre meu caminho, por causa de uma grande perda, foi que senti o poder confortante das palavras que transmiti a outros em minhas horas de doce segurança e paz”. 

Fonte: http://www.musicaeadoracao.com.br/hinos/historias_hinos/ha_394.htm, que cita Osbeck, Kenneth W. 101 More Hymn Stories, Grand Rapids, MI, Kregel Publications, 1985,p. 57.

Published in: on 31 de maio de 2010 at 9:11 pm  Deixe um comentário  

História do hino 291 – Comunhão celeste

  Depois de servir a Deus como pastor por mais de 24 anos, na cidade de Brixham, Inglaterra, viu-se acometido por uma doença pertinaz, pulmonar, enfraquecendo rapidamente o seu estado físico. O seu médico recomendou-lhe que deixasse aquela cidade e fosse para as regiões da Itália, onde havia mais sol e onde poderia fugir do ar salgado de Brixham. Lyte não gostou da idéia, pois amava o mar desde a sua infância; e, agora, aos 54 anos, recebia o diagnóstico do médico como se fosse uma verdadeira sentença. Assim se expressou: “Espero que não seja necessário, pois nenhuma separação me seria mais penosa do que a do mar. Desde a minha infância ele tem sido o meu amigo e companheiro de folga e jamais me cansaria de o contemplar”. E mais: “As andorinhas estão a preparar-se para o vôo e estão a convidar-me para as acompanhar, porém, enquanto falo em voar, mal posso arrastar-me, e pergunto-me se será possível deixar a Inglaterra”.
  Parece que foi durante este estado físico e emocional que Lyte preparou o sermão que, sabia, seria o último para a sua Igreja a qual tanto amava. O seu último sermão naquela cidade foi proferido no dia 4 de Setembro de 1847. Foi grande o esforço que despendeu, nas condições físicas em que se encontrava, a ponto de muitos temerem pela sua saúde. Mesmo assim, após o culto, foi, pela última vez, à beira do mar, voltando, depois, lentamente, para sua casa.
  No final daquele mesmo dia, ele colocou nas mãos de um parente seu, o hino ” Comunhão celeste”. Pensa-se que Lyte, ao meditar na sua iminente saída de Brixham, havia escrito o hino, em Agosto daquele ano (1847). Mas a primeira vez que foi divulgado, foi na data do seu último sermão. Lyte, dois meses mais tarde, morreu, na cidade de Nice, ao sul da França, antes de chegar ao seu destino, apontando para o céu e dizendo:: “Paz, Alegria!”. Assim partiu Lyte.  A música deste hino foi escrita pelo dr. William H. Monk e recebeu o título de EVENTIDE (Crepúsculo), nome bem sugestivo de acordo com a letra e o sentido do hino escrito por Lyte, bem no crepúsculo da sua vida terrenal! 

Fonte: http://www.musicaeadoracao.com.br/hinos/historias_hinos/ha_397.htm, que cita http://www.refrigerio.net/hinos13.html

Published in: on 31 de maio de 2010 at 9:10 pm  Deixe um comentário  
%d blogueiros gostam disto: