Thomas Kelly

  Thomas Kelly [66] nasceu no dia 13 de julho de 1769 em Kellyville, Stradbally, Queens County, Irlanda. Faleceu dia 14 de maio de 1855, em Dublin, Irlanda. Está sepultado próximo da residência da família Kelly em Kellyville, Ballyadams, Condado de Queens (atualmente conhecido como Condado Laois). Filho de juiz, Kelly frequentou a faculdade Trinity (BA 1789) e pretendia ser advogado. Entretanto, depois que se converteu a Cristo, seus planos mudaram para o ministério. Tornou-se sacerdote anglicano em 1792 e conseguiu obter a fama de ser um dos mais famosos ministros “divergentes”. Escreveu mais de 760 hinos. Os cantores da igreja de Miller (1869) assim diziam a seu respeito: “O sr. Kelly foi um homem de grande e variada aprendizagem, qualificados nas línguas orientais, e um excelente analista da Bíblia. Também era possuidor de talento musical, compôs e publicou um trabalho que foi bem aceito. Era constituído de música adaptada a cada tipo de métrica no seu hinário. Naturalmente, de uma disposição amável e cuidadosa na sua piedade cristã, o sr. Kelly tornou-se amigo de bons homens, e o advogado de toda causa que fosse digna, benevolente e religiosa. Era admirado tanto pelo seu zelo como pela sua humildade. Sua liberalidade encontrou ampla aplicação na Irlanda, especialmente durante o ano da fome”.

Fonte: http://harpacrista-fragmentos.blogspot.com/2008/12/hc045-redentor-onipotente.html

Published in: on 19 de maio de 2010 at 8:01 pm  Deixe um comentário  

Phoebe Palmer Knapp

  Phoebe Palmer Knapp [334] nasceu no dia 9 de Março de 1839 em Nova York-NY. Faleceu no dia 10 de Julho de 1908, em Poland Springs, Maine. Encontra-se enterrada no cemitério Greenwood, Brooklyn, Nova York. Próximo dos túmulos de Thomas Hastings e Henry Beecher. Os pais de Phoebe foram os evangelistas metodistas dr. Walter C. Palmer e Phoebe Worrall Palmer. Aos 16 anos casou-se com Joseph Fairfield Knapp, segundo presidente da Seguradora Metropolitan Life Insurance Company. Eles pertenciam ao John Street Methodist Church de Nova York, da mesma maneira que sua amiga muito íntima, Fanny Crosby. Após a morte do marido, Phoebe ficou herdeira dos seus bens e com um ótimo salário, com o qual fazia generosas doações para instituições de caridade. Ela possuia um enorme órgão de foles no seu apartamento, no Hotel Savoy em Nova York. Compôs mais de 500 hinos.

http://harpadigital.jimdo.com/phoebe_palmer_knapp.php

Published in: on 19 de maio de 2010 at 8:00 pm  Deixe um comentário  

História do hino 154 – Firme nas promessas

  Publicado pela primeira vez em 1886, em Songs of Prefect Love (Hinos do Perfeito Amor), o hino “Firme nas Promessas” baseia-se em II Pedro 1:4, que afirma que o Senhor Jesus nos tem dado Suas preciosas e grandíssimas promessas, para que por elas nos tornemos participantes da natureza divina. Este hino [é muito cantado em todo o Brasil] dá testemunho do cumprimento destas promessas do nosso Senhor. Expressa a nossa firmeza em confiar nestas promessas e testifica da vitória que o Espírito nos dá ao confiarmos. 

Fonte: http://www.musicaeadoracao.com.br/hinos/historias_hinos/ha_274.htm, Nassau, Rolando de. Os Hinos de Carter, Rio De Janeiro:O Jornal Batista, nº32-Ano XCH, 9 de agosto de 1992. p. 2

Published in: on 19 de maio de 2010 at 7:59 pm  Deixe um comentário  

História do hino 151 – Comunhão

  Na cidade santa de Benares, na Índia, em 11 de setembro de 1853, nasceu uma menina, Ellen Lakshmi Goreh. Era da mais alta casta (Mahratta Brahmim). Sua mãe morreu quando tinha um ano e Ellen foi adotada. Depois, quando seu novo pai perdeu sua propriedade, Ellen foi acolhida pela família do Pastor W. T. Storrs. Neste lar ela se converteu. Viajou com eles para a Inglaterra, onde foi educada. Em 1880, Ellen voltou à sua terra natal para um trabalho missionário entre as mulheres. Não foi fácil para esta senhora de alta casta. Houve muita oposição e dificuldades. Entretanto, seu caráter e vida espiritual brilharam como um farol entre o seu povo que vivia em tanta escuridão. Foi no meio dessas dificuldades e preconceitos que Ellen escreveu hinos de louvor e sobre a vida cristã: hinos que demonstravam de onde ela recebia a força para a sua vida e seu ministério. 

Fonte: http://www.musicaeadoracao.com.br/hinos/historias_hinos/ha_412.htm, que cita Braga, Henriqueta Rosa Fernandes, Obediência. Ultimato, Ano XV-Nº143, maio/jun. 1982 p. 21

Published in: on 19 de maio de 2010 at 7:56 pm  Deixe um comentário  
%d blogueiros gostam disto: