Jessie Brown Pounds

  Jessie Brown Pounds (1861-1921) [306], nascida em Hiram, Estado de Ohio, EUA, nunca foi muito forte fisicamente e recebeu sua educação em casa. Aos 15 anos começou a contribuir regularmente para periódicos religiosos e por mais de 30 anos escreveu poesia sacra para a publicadora de James H. Fillmore. Publicou ao todo, nove livros, 50 textos para cantatas e operetas, e mais de 400 hinos. Jessie H. Brown casou-se com o pr. John E. Pounds, pastor da igreja Cristã Central em Indianápolis, Estado de Indiana em 1896. Mais tarde, ele tornou-se pastor universitário em Hiram, a cidade natal de Jessie. 

Fonte: http://www.musicaeadoracao.com.br/hinos/historias_hinos/ha_535.htm

Anúncios
Published in: on 9 de maio de 2010 at 6:35 pm  Deixe um comentário  

Jeremias Eames Rankin

  O dr. Rankin [565] nasceu a 2 de janeiro de 1828 em Thornton, New Hampshire. Tornou-se um ministro Congregacional e mais tarde foi por vários anos presidente da Howard University, Whashington D.C.. Morreu em Cleveland, Ohio, a 28 de novembro de 1904. 

Fonte: http://www.musicaeadoracao.com.br/hinos/historias_hinos/ha_387.htm

Published in: on 9 de maio de 2010 at 6:33 pm  Deixe um comentário  

John Rippon

  John Rippon [60 (4ª estrofe)] também foi um dos mais influentes pastores dissidentes (não anglicanos) do seu tempo. Nascido em Tiverton, condado de Devon, em 1751, estudou para o ministério na Faculdade Batista de Bristol. Aos 22 anos tornou-se pastor da Igreja Batista em Carter Lane, em Londres, servindo ali até a sua morte. Rippon fez uma grande contribuição como editor e publicador de O Registro Anual Batista de 1790 a 1802 e reeditou a monumental Exposição do Antigo e Novo Testamento, de John Gill, de nove volumes. A maior contribuição de Rippon à hinodia é sua coletânea, Selection of Hymmns from the Best Authors (Seleção de Hinos dos Melhores Autores). Esta coletânea teve largo uso, tanto na Inglaterra como na América do Norte. Sua influência sobrepujou a de todos os seus precursores. Tornou-se o modelo para a hinodia batista e também fonte para outros hinários. Foi especialmente notável pelo de hinos originais que apareceram nela pela primeira vez. Em edições subseqüentes, Rippon deu nome às melodias. Algumas desta melodias, como RIPPON, continuam em uso até hoje em todo o mundo.

Fonte: http://www.musicaeadoracao.com.br/hinos/historias_hinos/ha_071.htm

Published in: on 9 de maio de 2010 at 6:32 pm  Deixe um comentário  

História do hino 46 – Jesus me transformou

  A pedido do ilustre hinólogo William J. Reynolds, em 23 de maio de 1955, Louise Rowe Mayhew, filha do autor James Rowe, escreveu a história do surgimento, em 1912, deste lindo hino de testemunho: “Howard E Smith era um homem pequeno, cujas mãos estavam tão deformadas por artrite que parecia não poder usá-las de forma nenhuma, quanto menos tocar piano, mas podia e tocava. Posso ver os dois agora, meu pai andando para cá e para lá, solfejando um ou dois compassos, e Smith tocando-os e copiando-os no caderno de música. Assim foi composto Jesus me transformou. Isto aconteceu em Saugatuck, (Estado de Connecticut), muitos anos atrás.”. A comissão do Baptist Hymnal (Hinário Batista) de 1956 deu o nome SAFETY (segurança) à melodia de Rowe.

Fonte: http://www.musicaeadoracao.com.br/hinos/historias_hinos/ha_109.htm

Published in: on 9 de maio de 2010 at 6:31 pm  Deixe um comentário  

História do hino 44 – A linda história

  O autor deste hino, Francis Harold Rowley, conta a seguinte história: “Eu era ministro da Primeira Igreja Batista em North Adams (Massachusetts) à época em que este hino foi composto, em 1886, até onde posso me lembrar. A igreja e a comunidade estavam experimentando um período de grande interesse por assuntos religiosos e eu era auxiliado por um jovem cantor notável chamado Peter Bilhorn. Certa noite, após o encerramento do culto ele disse, “Por que você não escreve um hino para que eu faça uma música para ele?”. Durante a noite estes versos despretensiosos e completamente sem valor literário me vieram à mente. Alguns anos depois, eu estava passando certa noite por uma rua de Londres, por volta das onze horas e descobri, à minha frente, um grupo de pessoas do Exército da Salvação fazendo um culto e, conforme me aproximei deles, ocorreu-me que o hino que eles cantavam me era familiar. Então, notei que era este hino.”

Fonte: http://www.musicaeadoracao.com.br/hinos/historias_hinos/ha_055.htm

Published in: on 9 de maio de 2010 at 6:29 pm  Deixe um comentário  
%d blogueiros gostam disto: