Joseph Scriven

  Joseph Medlicott Scriven (1819-1886) [155] nasceu em Seapatrick, condado de Down, Irlanda, filho de um capitão da Marinha Real, e sobrinho dum pastor. Formou-se na célebre Faculdade Trinity de Dublin, capital [da Irlanda]. Possuía fortuna, educação, uma família que o amava e uma vida cheia de alegria. Estava preste a casar-se com uma bela moça. Então, tragédia inesperada lhe sobreveio. Na noite anterior às suas almejadas núpcias, sua noiva afogou-se! “Na sua tristeza profunda [e melancolia que o perseguiria durante toda sua vida], Joseph reconheceu que somente no seu amigo mais querido, Jesus, poderia achar o consolo e o sustento de que precisava”.
  Começara a carreira militar, mas sua saúde precária forçou-o a abandonar este sonho. Pouco tempo depois, Scriben decidiu emigrar para o Canadá. Mudou-se completamente o seu estilo de vida. Estabeleceu-se em Port Hope, Província de Ontário, e propôs no seu coração que se dedicaria a ser amigo e auxilio aos outros. Professor por profissão, trabalhou, sem pagamento, para qualquer pessoa que precisasse dele. Doava sua própria roupa e outros pertences a qualquer pessoa necessitada. Tornou-se conhecido como “o bom samaritano de Port Hope”.
  Uma vez um novo vizinho procurava quem lhe cortasse lenha. Vendo as ferramentas de Scriven, procurou se informar sobre ele. “O senhor não pode empregar aquele homem”, lhe disseram. “É o senhor Scriven. Não cortará lenha para o senhor”. “Por que não?”, perguntou o homem. “Porque o senhor pode pagar. Ele somente corta lenha para viúvas e inválidos”. Scriven sofreu outra perda devastadora. Noivo pela segunda vez, no Canadá, sua pretendida adoeceu gravemente, vindo a falecer. Ele também sofreu financeira e fisicamente. Com muita razão, Bill Ichter intitulou sua comovente história sobre a vida deste bom homem: Um Homem Marcado Pela Tragédia.

Fonte: http://www.musicaeadoracao.com.br/hinos/historias_hinos/ha_420.htm

Anúncios
Published in: on 6 de maio de 2010 at 6:12 pm  Deixe um comentário  

William Fiske Sherwin

  William Fiske Sherwin [475] nasceu no dia 14 de Março de 1826 em Buckland, Massachusetts e faleceu no dia 14 de Abril de 1888 em Boston, Massachusetts. Depois de mudar-se para Boston, quando ainda era adolescente, Sherwin estudou música com Lowell Mason. Mais tarde trabalhou no Conservatório de Música de New England, e ensinava canto em Massachusetts e Nova Iorque. Foi o primeiro diretor musical do Movimento Chautauqua próximo de Chautauqua. Nova Iorque. Foi também, editor musical da Biglow and Main editores.

Fonte: http://harpacrista-fragmentos.blogspot.com/2008/06/hc099-eis-o-dia-declinar.html

Published in: on 6 de maio de 2010 at 6:11 pm  Deixe um comentário  

Alfredo Henrique da Silva

  Alfredo Henriques da Silva (1872-1950) [162, 302, 379, 419, 444], que sucedeu a Robert Hawkey Moreton, na liderança da Igreja Evangélica Metodista Portuguesa, foi o mais destacado dos líderes, tendo expandido a obra da Igreja ao longo dos anos mais favoráveis da I República. Moreton organizou esta igreja no ano de 1871. Foi durante a direção do dr. Alfredo, mais precisamente entre 1920 e 1940, que a Igreja Evangélica Metodista Portuguesa atravessou o seu período de expansão mais frutífero, recrutando membros de todas as classes sociais, aumentando o número das suas escolas e confirmando-se como uma das mais dinâmicas e prestigiadas Igrejas Evangélicas do País. Durante esta era a Igreja editou várias publicações de boa qualidade espiritual e intelectual, a mais notável das quais foi o mensário Portugal Evangélico, que é, ainda, a mais antiga publicação evangélica portuguesa em circulação.

Fonte: http://harpacrista-fragmentos.blogspot.com/2008/12/hc185-invocao-e-louvor.html

Published in: on 6 de maio de 2010 at 6:07 pm  Deixe um comentário  

História do hino 419 – Mãos ao trabalho

  A autora tinha apenas 18 anos de idade quando compôs as palavras deste hino, que foi publicado pela primeira vez, no seu livro “Poemas” em 1868. Em 1857, a família de Anna mudou-se para o Canadá. Eles se estabeleceram primeiramente em Pointe-Lévy e depois mudaram-se em 1858 para Sarnia, onde o pai de Anna trabalhou na ferrovia. Por volta desta época, Anna e suas duas irmãs, Isabella e Frances, dirigiram uma escola para moças. Anna retornou à Inglaterra em 1863 e trabalhou como governanta e revisora de livros. Em 1883, casou-se com Harry Coghill e mudou-se para Coghurst Hall, perto de Hastings, Inglaterra. O texto deste empolgante hino foi sugerido pelas palavras de Jesus: “Convém que eu faça as obras daquele que me enviou, enquanto é dia; a noite vem, quando ninguém pode trabalhar.” (João 9:4). A música foi escrita pelo conhecido compositor Lowell Mason.

Fonte: http://www.musicaeadoracao.com.br/hinos/historias_hinos/ha_319.htm

Published in: on 6 de maio de 2010 at 6:04 pm  Deixe um comentário  

História do hino 442 – O missionário

  Num sábado à tarde um dia antes de Pentecoste, 1819, [Heber, o autor do hino] estava na casa pastoral com seu sogro o dr. Shipley, deão de Saint Asaph em Wrexham… Seu sogro pediu que Heber escrevesse um hino num tema missionário para ser cantado no culto matutino. O hinista se afastou dos outros por um tempo e, na sua volta, o deão lhe perguntou: “o que você escreveu:”. Em resposta Heber leu as primeiras três estrofes. De O missionário. O deão exclamou que era muito satisfatório. “Não, não,” replicou Heber, “o sentido não está completo”, e adicionou mais uma estrofe. O hino foi cantado na manhã seguinte. 

Fonte: Cristão, Hinário para o Culto – Música. História. 2 Música sacra- Batista. P. 404, Rio de Janeiro JUERP, 2001.

Published in: on 6 de maio de 2010 at 5:59 pm  Deixe um comentário  
%d blogueiros gostam disto: